+55 11 3069.3910

LGPD: Como se adequar aos 10 princípios da privacidade

Após dois anos de espera, finalmente a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrará em vigor no Brasil. A lei tem como objetivo regulamentar o tratamento de dados pessoais, garantindo principalmente a segurança, transparência e a integridade dos dados fornecidos.

Desde a sua divulgação, foi muito discutido entre as empresas como se adaptar às normas estabelecidas pela lei, já que o impacto no tratamento de dados é enorme na maneira que as empresas vão criar suas estratégias de comunicação e proteger os dados pessoais de forma efetiva.

As empresas que ainda não se adequaram à LGPD estão sujeitas a multas de 50 milhões de reais, o que traria grandes prejuízos para qualquer empresas.

Se você ainda não se adequou e quer correr atrás do prejuízo o quanto antes, preparamos esse artigo para mostrar os 10 princípios da privacidade para você se adequar à LGPD, confira:

Veja também: 7 pontos importantes entre a LGPD (Brasileira) e a GDPR (Europeia)

10 princípios da privacidade

Antes de você colocar em prática medidas para regulamentar sua empresa, é importante saber os 10 princípios da privacidade que a LGPD exige das empresas, que são:

  1. Princípio da finalidade: informar a finalidade de estar colhendo aqueles dados ao usuário.
  2. Princípio da adequação: os dados terão que ser tratados de forma que faça sentido com a finalidade que foi informada ao titular.
  3. Princípio da necessidade: solicite apenas as informações necessárias para a execução da finalidade.
  4. Princípio do livre acesso: dar garantia ao titular dos dados pessoais que ele possa saber a forma e o período que seus dados serão utilizados.
  5. Princípio da qualidade dos dados: a qualidade dos dados informados serão de responsabilidade da empresa.
  6. Princípio da transparência: é necessário que o usuário receba um aviso com uma lista detalhada de como seus dados pessoais poderão ser utilizados. 
  7. Princípio da segurança:  ter meios que garantam que apenas pessoas autorizadas acessem àquele dado.
  8. Princípio da prevenção: os dados não podem ser compartilhados com outras empresas ou pessoas não autorizadas a manuseá-los.
  9. Princípio da não discriminação: os dados não podem ser utilizados para fins ilegais.
  10. Princípio da responsabilização e prestação de contas: necessário possuir o termo que garante que os 10 princípios estão sendo seguidos.

Como garantir que os 10 princípios sejam seguidos

Para garantir a integridade dos dados pessoais, é necessário que seu time de segurança da informação contribua muito, já que proteger totalmente os dados pessoais é necessário que a empresa possua um controle de acessos privilegiados eficiente.

Que permita que apenas pessoas autorizadas acessem as informações e garanta a segurança de alguma ameaça interna ou externa, além de registrar todo o tipo de ação feita nos dados pessoais.

Uma boa maneira de resolver isso de forma efetiva, é contratando uma solução PAM. Uma boa solução PAM gerencia todos os pontos que você precisa dar atenção, garante a segurança interna e externa e ainda registra todas as ações realizadas dentro dos bancos de dado.

Se você ficou curioso em saber como funciona uma solução PAM, preencha o formulário abaixo e solicite uma demonstração.


2020-09-08T11:57:11-03:00

Deixe seu comentário

Ir ao Topo