BR +55 11 3069 3925 | USA +1 469 620 7643

Chaves SSH: saiba qual é a importância do controle seguro

por | fev 9, 2022 | Blog

Contar com a máxima segurança é fundamental para trazer um ambiente protegido e fortalecer a confiança dos clientes com a empresa. As chaves SSH são um importante mecanismo de autenticação que asseguram a proteção de dados e informações.

Elas funcionam como uma credencial de acesso, sendo uma ferramenta essencial para fortalecer o controle seguro das empresas e trazer mais credibilidade às suas operações. Com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), investir em segurança de dados se mostra uma enorme necessidade às empresas.

Por isso, neste texto, vamos explicar o que são as chaves SSH, como elas surgiram e sua importância na hora de trazer mais segurança no dia a dia da empresa. Confira.

O que são chaves SSH?

SSH ou Secure Socket Shell é um protocolo de rede que dá permissões de acesso, modificação ou administração aos usuários remotamente aos servidores. Desta forma, é possível trazer uma camada de proteção durante o uso.

A sua capacidade de segurança ocorre por meio de uma criptografia de ponta que possibilita o acesso a dados, informações, documentos e arquivos pelo usuário entre máquina e servidor. As chaves SSH contam com um mecanismo de autenticação que é capaz de mascarar os dados transmitidos do usuário.

Elas podem vir em vários tamanhos, porém, o modelo mais comum é a chave SSH com criptografia RSA de 2048 bits compatível com senhas de até 617 dígitos. As chaves SSH vêm em pares — sendo uma parte privada e a outra pública.

Normalmente, as chaves SSH são usadas como uma forma de login ou para executar outras operações em servidores e máquinas remotas. Porém, elas também podem ser utilizadas como meio de transferência de informações e arquivos de forma segura e confiável.

Como funcionam as chaves SSH?

Ao realizar o acesso por meio de chaves SSH, o usuário entra em uma sessão de shell — que funciona como uma interface de texto que possibilita a interação direta com o servidor. Durante essa sessão, todos os comandos informados no terminal são enviados por meio de um túnel SSH criptografado e executado no servidor.

Dessa forma, a conexão SSH é implementada utilizando um modelo cliente-servidor que, para possibilitar o acesso, a máquina ou servidor remoto deve contar com uma ferramenta capaz de escutar as conexões e autenticar as solicitações.

Para isso, o computador do usuário deve ter um cliente SSH instalado para possibilitar a comunicação por meio do protocolo SSH e, então, receber informações sobre o host remoto ao qual pretende se conectar.

Você está curtindo esse post? Inscreva-se para nossa Newsletter!

Newsletter Blog PT

12 + 1 =

Enviaremos newsletters e emails promocionais. Ao inserir meus dados, concordo com a Política de Privacidade e os Termos de Uso.

Quais os tipos de criptografia do SSH

A criptografia das chaves SSH são a principal garantia de proteção durante a solicitação de acesso e a transferência de dados. Separamos as três estruturas utilizadas neste protocolo. Confira a seguir.

Criptografia simétrica

Nesse modelo de criptografia, os usuários contam com um recurso que funciona como um identificador pessoal que permite o compartilhamento de dados entre servidor e usuário. Para isso, é usada uma chave secreta que é responsável pelo processo de criptografar e descriptografar as informações que são enviadas.

A criptografia simétrica também é conhecida como modelo de “segredo compartilhado” devido à necessidade de contar com uma chave secreta para disponibilizar o compartilhamento de dados. Normalmente, há apenas uma única chave que é utilizada em todas as operações.

As chaves simétricas de SSH são responsáveis pela criptografia de toda a conexão. Portanto, esse modelo possibilita que tanto a autenticação por senha quando a transferência de dados sejam protegidas contra invasões e acessos não autorizados.

Criptografia assimétrica

Ao contrário do modelo anterior, em que apenas uma chave secreta é usada, na criptografia assimétrica contamos com duas chaves — uma para o usuário e outra para o servidor. Esse processo é essencial para que haja a criptografia dos dados e maximizar a proteção da informação.

Essas chaves são conhecidas como públicas e privadas e são responsáveis pela combinação capaz de gerar o SSH e todo o seu protocolo de segurança. A chave pública pode ser compartilhada livremente com qualquer parte. Ela está associada à chave emparelhada, porém, a chave privada não pode ser derivada da pública.

Existe uma relação entre ambas as chaves que permite que a pública criptografe mensagens que só podem ser descriptografadas pela chave privada. Por isso, a chave privada deve ser mantida inteiramente sob segredo e nunca deve ser compartilhada com a outra parte.

Essa chave é o único componente capaz de descriptografar uma mensagem criptografada pela chave pública. Por isso, ela exerce o controle seguro sobre a transmissão de dados e informação e somente as entidades que detêm a chave privada são capazes de realizar esse processo.

Hashing

Hashing é outra forma de manipulação de dados que pode beneficiar o SSH. Aqui, as informações são embaralhadas em uma sequência aleatória de caracteres que funciona como uma espécie de assinatura gerada por meio de um algoritmo que resume todos os dados.

Esse método garante que as mensagens sejam protegidas por meio dessa manipulação de dados, possibilitando maior segurança contra a violação de códigos que são recebidos remotamente pelos servidores.

Qual a importância das chaves SSH no controle seguro?

Um dos principais pontos que determinam a importância do SSH nas empresas é a sua capacidade de ampliar a segurança no local. As chaves SSH são capazes de proteger a integridade de dados e informações transmitidas e das alterações realizadas no servidor.

Por meio de seus métodos de criptografia, o protocolo SSH é capaz de trazer a máxima proteção em caso de ações maliciosas, em que há tentativas de interceptação de dados ou invasão aos servidores, nos quais as informações são armazenadas.

Com as chaves SSH, a empresa conta com mais controle sobre seus dados, já que o acesso é restrito apenas à chave legítima de autenticação. Esse protocolo de segurança também serve como um reforço na hora de liberar acesso às máquinas remotas ou servidores, bloqueando quaisquer acessos indevidos ao sistema.

Pronto! As chaves SSH são um dos protocolos de comunicação mais seguros existentes atualmente. Contar com esse método de criptografia, além de trazer mais segurança à rotina da empresa, é um excelente meio de fortalecer a sua credibilidade e trazer meios mais eficientes para lidar com dados sigilosos.

Aproveite para conferir outros artigos em nosso blog para reforçar sua leitura e aprender novos métodos para trazer segurança ao seu negócio.

 

Força de senha: como criar senhas fortes para as credenciais?

A força de senha é um dos critérios considerados na criação de políticas de senhas. Afinal, essa é uma das medidas mais eficientes para evitar que as senhas sejam violadas. E se preocupar com isso é de suma importância para as organizações nos dias atuais. Isso porque...

Aplicando Zero Trust no PAM

A implantação do modelo de segurança baseado em Zero Trust ganhou espaço nos últimos tempos, promovendo entre as organizações o padrão de nunca confiar, sempre verificar antes de conceder acesso ao seu perímetro. Essa prática é extremamente importante para garantir a...

Cofre de senhas: guia completo

Neste artigo, explicaremos o conceito de cofre de senhas, sua importância, benefícios e vulnerabilidades, entre outros aspectos. Para facilitar sua leitura, dividimos nosso texto nos seguintes tópicos:  Cofre de senhas: o que é? Qual a importância de um cofre de...

Como gerenciar o ciclo de vida de credenciais?

O gerenciamento eficiente do ciclo de vida de credenciais é de extrema importância para garantir a segurança digital de uma organização. Esse mecanismo permite controlar o acesso privilegiado a dados sigilosos, reduzindo a superfície de ataque. Sendo assim,...

Os segredos da resiliência cibernética

Nos últimos anos, o mundo evoluiu consideravelmente, com empresas adotando cada vez mais iniciativas digitais, como a Nuvem, IoT, Big Data, Inteligência Artificial e Aprendizado de Máquina. E a pandemia da Covid-19 forçou as organizações a acelerar a adoção dessas...

Porque participar do Gartner IAM SUMMIT

Cibersegurança é um assunto cada vez mais presente nas reuniões em todos os níveis de uma organização. E com o aumento da digitalização e conectividade das organizações, os riscos cibernéticos estão cada vez mais associados a riscos de negócio, e não estão limitados...
Copy link
Powered by Social Snap