BR +55 11 3069 3925 | USA +1 469 620 7643

Cloud IAM: o que você precisa saber?

por | ago 19, 2022 | Blog

Com a adoção do home office por grande parte das organizações, aumentou também a necessidade de aderir à computação em nuvem e investir em soluções que proporcionem segurança nesse contexto.

Sendo assim, recomendamos a utilização do Cloud IAM para limitar o privilégio dos usuários conforme suas funções, garantindo a proteção de dados e arquivos corporativos na nuvem.

Isso só é possível por meio de práticas como o uso de mecanismos com o múltiplo fator de autenticação (MFA), conforme explicaremos neste artigo. Para facilitar sua compreensão, dividimos nosso texto por tópicos:

  • O que é o Cloud IAM?
  • O que significa IAM?
  • Qual a importância do Cloud IAM?
  • Vantagens do Cloud IAM
  • Como funciona o Cloud IAM?
  • Tipos de nuvem
  • O princípio do privilégio mínimo em ambientes Cloud
  • Qual a diferença entre o Cloud IAM e o CIEM?
  • Sobre o senhasegura
  • Conclusão 

Boa leitura!

 

O que é o Cloud IAM?

O gerenciamento de identidade e acesso (IAM) consiste em uma estrutura de processos que possibilita aos gestores de tecnologia da informação administrar o acesso dos usuários às informações críticas nas suas empresas.

Suas funcionalidades incluem gerenciamento de acesso privilegiado e mecanismos como autenticação de dois fatores, múltiplo fator de autenticação e sistemas de logon único.

Tudo isso garante a segurança de compartilhar apenas os dados necessários e também a possibilidade de armazenar informações de perfil e identidade de maneira protegida. 

É possível implantar os sistemas IAM mediante um modelo de assinatura baseado em nuvem ou híbrido, utilizando os serviços de um fornecedor terceirizado. Em um sistema IAM:

  • É possível proteger informações sigilosas dentro de um sistema;
  • Usuários e grupos podem ter diferentes níveis de acesso;
  • Pode-se adicionar, remover e atualizar usuários e suas funções no sistema;
  • É possível identificar funções nos sistemas e verificar sua atribuição a cada usuário;
  • Identificar os usuários no sistema. 

 

O que significa IAM?

IAM é a sigla do termo “Identity and Access Management”, que em português significa: gestão de identidade e acesso. 

Trata-se de uma tecnologia que possibilita às pessoas terem acesso aos dados de uma empresa de maneira limitada, de modo a garantir um maior nível de segurança da informação.

Conforme mencionamos no tópico anterior, isso é possível mediante os seguintes recursos:

  • Sistemas de logon único;
  • Gestão de acesso privilegiado; e
  • Múltiplo fator de autenticação.

 

Qual a importância do Cloud IAM?

Quando falamos em computação em nuvem, nos referimos à possibilidade de acessar a dados e arquivos de qualquer ambiente, não apenas dos dispositivos de uma empresa, o que é cada vez mais comum com o crescimento do trabalho remoto.

Tal situação gera grandes desafios para as lideranças responsáveis por proteger documentos e dados corporativos, afinal, se antes o controle do acesso era viabilizado com base no perímetro de rede, hoje, isso não é mais possível.

Assim, o que deve ser considerado na hora de conceder um acesso aos dados da nuvem é a identidade do usuário.

Porém, atribuir e rastrear os privilégios do usuário de forma manual pode ser um procedimento bastante arriscado. Pensando nisso, recomendamos a utilização do IAM, uma solução automatizada. 

Acessível para negócios de todos os portes, ele possui uma ampla gama de recursos, que incluem IA, análise de comportamento e biometria.

 

Vantagens do Cloud IAM

O Cloud IAM traz uma série de benefícios para as organizações que investem nessa solução. Confira as principais vantagens a seguir:

  • Contempla os serviços em nuvem

No contexto da transformação digital, as organizações priorizam a migração da infraestrutura de identidade para a nuvem. Com o Cloud IAM, esse processo ocorre de modo mais rápido e acessível, uma vez que os serviços em nuvem dispensam investimento com pessoal e hardware.

Realizar uma atualização também se torna mais fácil, especialmente para empresas que contam com fornecedores na nuvem.

  • Permite reduzir custos operacionais

Com o home office em alta e os profissionais utilizando dispositivos pessoais para o trabalho, existe uma maior mobilização de equipes de TI para gerenciar esses recursos, o que aumenta os custos com a contratação de especialistas e com a compra e manutenção de equipamentos.

Investindo em Identity as a Service (IDaaS) e Cloud IAM, esses custos podem ser reduzidos. 

  • Escalabilidade

Não importa quantos funcionários uma empresa tenha que adicionar em um novo local ou se o seu site vai atrair um grande número de visitantes para fazerem compras on-line durante uma promoção: é possível dimensionar as soluções Cloud IAM facilmente para novos usuários.

  • Mais segurança

Com o Cloud IAM, é possível utilizar recursos como o múltiplo fator de autenticação, o que garante mais segurança cibernética para sua empresa. Possibilidade existente porque essa tecnologia reforça a segurança das senhas, na medida em que exige mais de um fator de autenticação.

Para tornar o procedimento ainda mais simples, eliminando a necessidade de palavras-passe, é possível ainda optar pela autenticação sem necessidade de usá-las.

  • Economiza o tempo do usuário

Por meio do Cloud IAM, o logon único permite realizar o login e ter acesso a recursos de maneira ágil. Com isso, os clientes de um comércio eletrônico conseguem fazer login sem atrito e os empregados têm a possibilidade de utilizarem vários aplicativos para realizar suas atividades sem perder tempo.

  • Diminui a necessidade de redefinir senhas

O IAM reduz a necessidade de redefinir senhas, assim como a ocorrência de problemas com acessos roubados. Hoje, acredita-se que metade das chamadas de suporte técnico de TI tenham o objetivo de redefinir palavras-passe e que cada redefinição custaria cerca de US$ 70.

 

Como funciona o Cloud IAM?

Com uma solução IAM, é possível controlar o acesso das pessoas aos dados críticos de uma empresa. Esse controle é baseado nas funções de cada usuário dentro da organização, definidos conforme seu cargo, autoridade e responsabilidade.

Os sistemas IAM capturam e registram informações de login, gerenciam o banco de dados de identidade de usuários e possibilitam atribuir e remover privilégios de acesso, permitindo a supervisão e visibilidade de todos os detalhes da base de usuários.  

Além de gerenciar identidades digitais de humanos, gerenciam identidades de aplicações e dispositivos para garantir mais segurança. 

Pode funcionar como identidade ou autenticação, sendo do provedor de serviços a responsabilidade de registrar e autenticar usuários e administrar suas informações.

 

Tipos de nuvem

Existem várias opções de nuvens disponíveis, o que permite que você utilize a mais adequada às necessidades da sua empresa e ao seu orçamento. Confira:

  • Nuvens públicas

São hospedadas por provedores de serviços de nuvem, como é o caso do Google Cloud Platform (GCP) e Amazon Web Services (AWS).

 

  • Nuvens privadas

Normalmente, são hospedadas na própria organização, proporcionando flexibilidade e segurança.

  • Nuvens de parceiros

Costumam ser hospedadas em uma nuvem pública por um parceiro que administra o ambiente.

  • Nuvens híbridas

Combinam diferentes tipos de nuvem para garantir segurança, flexibilidade e uma boa relação custo-benefício.

  • Multiclouds

Em geral, combinam mais de um dos três principais provedores de nuvem pública, Google Cloud Platform (GCP), Microsoft Azure e Amazon Web Services (AWS).

 

O princípio do privilégio mínimo em ambientes Cloud

Cada provedor de nuvem oferece recursos diferentes para permissões de acesso. Sendo assim, as equipes de segurança de TI precisam controlar os direitos ao migrar a infraestrutura para a nuvem, seguindo o princípio do privilégio mínimo. 

Isso porque os modelos convencionais de permissão do IAM não são apropriados para ambientes cloud, mas foram projetados para protegerem sistemas e aplicativos implantados no data center de uma organização.

Já os ambientes cloud são acessados por um número maior de pessoas, de qualquer ambiente, o que torna seu manejo muito mais complexo de se monitorar.

Diferente do que ocorre com os data centers tradicionais, um ambiente cloud pertence ao provedor de nuvem e é operado por ele, seguindo um modelo de responsabilidade compartilhada.

Nesse caso, as designações tradicionais de acesso privilegiado e não privilegiado não se aplicam à nuvem. Os planejadores de segurança da informação devem estender os modelos de permissão para os ambientes cloud.

As permissões do IAM controlam o acesso aos recursos de nuvem, como contêineres Kubernetes, servidores de máquina virtual e arquivos, e serviços em nuvem, como banco de dados, virtualização, armazenamento e serviços de rede.

 

Você está curtindo esse post? Inscreva-se para nossa Newsletter!

Newsletter Blog PT

7 + 6 =

Enviaremos newsletters e emails promocionais. Ao inserir meus dados, concordo com a Política de Privacidade e os Termos de Uso.

Qual a diferença entre o Cloud IAM e o CIEM?

Cada vez mais organizações utilizam provedores de nuvem pública para simplificar suas operações e garantir inovação, sendo que muitas aderem a soluções multinuvem, a fim de aumentar a disponibilidade e reduzir custos.

Nesse sentido, as práticas convencionais de gerenciamento de identidade e acesso (IAM) são insuficientes para proteger esses recursos dinâmicos, uma vez que são criadas para proteger a aplicativos e infraestrutura locais estáticas.

Por esse motivo, os serviços de nuvem criam seus próprios recursos de IAM a fim de contribuir com empresas que precisam proteger ambientes cloud.

Apesar disso, a diversidade, a escalabilidade e o dinamismo dessa solução ainda geram desafios quando o assunto é segurança da informação.

Mas com as soluções CIEM, é possível abordar esses desafios, visualizando e corrigindo configurações incorretas do IAM e viabilizando o acesso com privilégios mínimos nesse contexto. 

Na prática, a diferença entre o Cloud IAM e o CIEM é que, enquanto o CIEM faz a gestão dos privilégios (entitlements) e suas políticas no ambiente, o Cloud IAM faz a gestão, incluindo provisionamento de credenciais, como usuários e chaves de acessos.

 

Sobre o senhasegura

Nós, do senhasegura, acreditamos na importância de promover a soberania digital, proporcionando aos nossos clientes o controle de ações e dados privilegiadas e evitando o roubo e comprometimento de informações. 

Quando o assunto é Cloud IAM, oferecemos uma solução diferenciada em relação à concorrência, permitindo provisionamento, desprovisionamento e fluxos de acesso para usuários e chaves de acesso.

 

Conclusão

Lendo esse artigo, você aprendeu que:

  • O IAM é uma estrutura de processos que possibilita aos gerentes de tecnologia da informação administrar o acesso dos usuários a informações críticas nas suas organizações;
  • É possível implantar os sistemas IAM por meio de um modelo de assinatura baseado em nuvem ou híbrido, utilizando os serviços de um fornecedor terceirizado;
  • No Cloud IAM, o que é considerado na hora de conceder um acesso aos dados da nuvem é a identidade do usuário.
  • Entre as vantagens dessa solução destacam-se o fato de ela contemplar os serviços em nuvem, permitir a redução de custos, proporcionar escalabilidade, segurança e economizar o tempo do usuário, além de reduzir a necessidade de redefinir senhas.
  • No Cloud IAM, geralmente são utilizados três fatores de autenticação. São eles: fator de conhecimento, fator de posse e fator de herança.
  • As soluções CIEM permitem abordar, visualizar e corrigir configurações incorretas do IAM nos ambientes cloud e viabilizam o acesso com privilégios mínimos.

 

Gostou do nosso artigo sobre Cloud IAM? Então, compartilhe nosso texto com outra pessoa que possa se interessar por esse tema.

Força de senha: como criar senhas fortes para as credenciais?

A força de senha é um dos critérios considerados na criação de políticas de senhas. Afinal, essa é uma das medidas mais eficientes para evitar que as senhas sejam violadas. E se preocupar com isso é de suma importância para as organizações nos dias atuais. Isso porque...

ISO 27001 – Qual a importância de termos conquistado a certificação

O processo de transformação digital nas organizações tem se intensificado em empresas de todos os tamanhos e segmentos, e é considerado um fator essencial para o sucesso dos negócios. Uma das principais consequências desse processo é o crescimento exponencial na...

Princípio do Privilégio Mínimo: entenda a importância desse conceito

Conceder acesso de administrador a um usuário que sequer tem tempo de explicar o motivo pelo qual precisa dessa permissão não é uma maneira eficiente de solucionar problemas de uma empresa e sim de prejudicar sua segurança.  Isso porque dados sensíveis podem cair nas...

Como evitar ataques DDoS na sua empresa?

Existem vários métodos pelos quais agentes maliciosos atacam sites e desestabilizam serviços e recursos de rede. Uma das técnicas mais utilizadas é o ataque DDoS, que significa negação de serviço distribuída. Por meio desse ataque, um site acaba se tornando inoperante...

Gartner e PAM: o que uma das mais importantes consultorias do mundo diz sobre esta solução de cibersegurança?

Todos nós, em algum momento, já ouvimos falar em transformação digital. Esse fenômeno atinge empresas de todas as verticais e portes e vem ganhando destaque no mercado.  A transformação digital exige cada vez mais que os líderes organizacionais adaptem suas...

Os maiores desafios de cibersegurança para a Internet das Coisas

A Internet das Coisas já faz parte da nossa realidade, possibilitando conectar itens utilizados no dia a dia com o mínimo de intervenção humana e otimizar o desempenho dos equipamentos por meio da conectividade. Esse conceito está presente nas câmeras de...