BR +55 11 3069 3925 | USA +1 469 620 7643

Qual é a diferença entre IAM e PAM?

por | nov 12, 2021 | Blog

É importante conhecer as diferenças que envolvem o IAM (Identity & Access Management) e o PAM (Privileged Access Management). No entanto, essa temática ainda gera dúvidas em algumas pessoas.

Primeiramente, é preciso compreender que a necessidade de obter uma identidade é essencial. 

Afinal, importa saber que, atualmente, ela não é definida apenas com base nos documentos pessoais.

Na verdade, a identidade se constitui por meio de diversas características capazes de afirmar quem somos e os tipos de atividades que efetuamos.

Dessa forma, várias questões compõem a nossa identificação como nome, biometria, entre outros atributos que ajudam a construir uma identidade única.

Com base nisso, sem detectar essas características seria impossível reconhecer uma pessoa em meio ao grande número de indivíduos que habitam o planeta Terra.

Sobre esse aspecto, você já imaginou como seria a rotina de um sistema online em que todos os usuários apresentassem a mesma identidade?

Então, imagine a seguinte situação: Léo é dono de uma empresa. Ao logar no sistema, ele busca acesso às informações referentes a todos os colaboradores da organização.

Laura, que também trabalha no estabelecimento, necessita entrar na mesma plataforma para obter informações sobre os trabalhos que serão realizados, sem necessariamente buscar as informações referentes aos clientes.

Mas como o sistema conseguirá oferecer as informações necessárias  se não tem a capacidade de reconhecer a identidade de cada um deles?

E como a plataforma conseguirá identificar um acesso autêntico?

Essa realidade também tornaria impossível selecionar as pessoas que podem ter acesso a determinadas funções dentro do sistema em questão.

Interessante, não é mesmo?! Então, convido você a continuar a leitura deste artigo.

IAM: o que é?

Com base na preocupação em relação às questões da identidade, surgiu o IAM, que pode ser compreendido como a Gestão de Identidade e Acesso.

Esse sistema possibilita o gerenciamento das mais diversas identidades e acessos referentes aos recursos da empresa.

Esses recursos podem ser compreendidos como dispositivos, ambientes, aplicações, arquivos de redes, entre outras possibilidades.

Ou seja, por meio do IAM, é possível realizar uma ótima gestão e definição sobre as atividades que cada usuário poderá efetuar dentro do sistema.

Esses usuários podem ser clientes, funcionários internos, profissionais terceirizados ou algumas aplicações.

É possível perceber que, independentemente do tipo de usuário em questão, os sistemas IAM defendem o conceito de que cada indivíduo deve ter uma identidade virtual própria.

Desse modo, ela deve ser única e precisa ser monitorada com base no ciclo de vida a que se dispõe, considerando, assim, sua etapa de criação, utilização e exclusão.

Sob essa ótica, a identidade virtual apresenta o nome de usuário, uma senha e as atividades realizadas virtualmente.

O IAM contém determinados modelos de aplicação. Um dos mais comuns consiste no sistema utilizado como serviço.

Ele é denominado IDaaS (Identity as a Service) ou, simplesmente, Identidade como Serviço.

Esse processo ocorre quando a infraestrutura de autenticação tem a sua base sustentada e gerenciada por terceiros.

Em um aspecto geral, há muitos modelos de aplicação atualmente. Entretanto, todo sistema IAM deve apresentar:

  • Um banco de dados eficiente para armazenar as informações dos mais diversos usuários.
  • Ferramentas que forneçam a possibilidade de habilitar e desabilitar as contas.
  • Recursos capazes de conceder e revogar os direitos de acesso aos usuários.

Em outras palavras, os sistemas IAM têm a capacidade de gerenciar as identidades digitais.

O objetivo é assegurar a permissão de acesso aos usuários que, de fato, tenham autorização

Você está curtindo esse post? Inscreva-se para nossa Newsletter!

14 + 12 =

Enviaremos newsletters e emails promocionais. Ao inserir meus dados, concordo com a Política de Privacidade e os Termos de Uso.

PAM: o que é?

Algumas pessoas tendem a confundir o PAM com o IAM pelo fato dele se destinar a fornecer soluções promissoras para realizar a gestão do acesso por meio do um controle, rastreamento, segregação e armazenamento das credenciais privilegiadas.

Nesse contexto, o PAM pode ser definido como o Gerenciamento de Acesso Privilegiado.

Os dois termos são confundidos com frequência quando a palavra “privilégio” não é levada em consideração.

Dessa forma, o IAM é responsável por gerenciar diferentes identidades para permitir que acessos comuns ocorram nas atividades de rotina.

O PAM, por sua vez, controla o acesso dos usuários ativos e privilegiados nos ambientes mais críticos dentro do sistema.

Pode-se dizer, portanto, que as soluções PAM representam um passo à frente se comparadas aos sistemas IAM.

Assim, o principal objetivo do PAM consiste em proteger os dados críticos de usuários privilegiados, que podem abusar de algumas vantagens pela utilização incorreta das informações manipuladas por eles.

Os sistemas IAM têm a capacidade de habilitar e remover todos os acessos. No entanto, não concedem as mesmas funcionalidades proporcionadas pelas soluções PAM como:

  • Limite de uso: limitação de utilização da conta, levando em consideração um prazo específico, bem como um volume determinado de aprovação.
  • Cofre das senhas: responsável pela proteção e pelo gerenciamento das credenciais críticas por meio do processo de monitoramento das sessões.
  • Visibilidade: visão do procedimento que ocorre quando determinado acesso é solicitado, aprovado e executado.
  • Descoberta: trata-se de varrer e encontrar  credenciais privilegiadas que se encontram dentro do sistema sem obter o conhecimento do administrador.
  • Auditoria: gravação da evidência dos acessos que foram efetuados de forma certa ou erroneamente.

Desse modo, é possível mencionar que uma solução PAM é uma parte integrante de um sistema IAM.

Assim, essa compreensão traz clareza à diferença de funcionalidade proporcionada por esses dois recursos eficientes.

Esse fato ocorre de modo similar às funcionalidades de diversos fatores referentes à autenticação e single sign-on, que corresponde à possibilidade de acesso a várias aplicações por meio de um único login.

Funcionalidades e ferramentas como essas proporcionam uma autenticação com maior potencial de segurança da informação, além da utilização cuidadosa dos perfis e das identidades.

O sistema IAM e a solução PAM trabalham de forma conjunta?

O IAM e o PAM podem trabalhar juntos de maneira eficiente. Aliás, esse procedimento é sempre recomendado.

Os sistemas IAM proporcionam aos seus administradores a facilidade de alterar determinado usuário, bem como a realização de relatórios de uso e a possibilidade de reforçar a política.

No entanto, é comum que esses sistemas apresentem algumas falhas em relação ao gerenciamento das contas privilegiadas.

Já as soluções PAM são capazes de fornecer as informações referentes aos procedimentos realizados, as sessões iniciadas e as credenciais que estão sendo utilizadas pelos usuários.

Após compreender a diferença entre IAM e PAM, aproveite para descobrir as tendências do mercado PAM.

 

Força de senha: como criar senhas fortes para as credenciais?

A força de senha é um dos critérios considerados na criação de políticas de senhas. Afinal, essa é uma das medidas mais eficientes para evitar que as senhas sejam violadas. E se preocupar com isso é de suma importância para as organizações nos dias atuais. Isso porque...

Gestão de Acesso Privilegiado (PAM): guia completo

Em 2021, houve um aumento de 50% no número de ataques em redes corporativas em relação ao ano anterior. É o que aponta a Check Point Research (CPR), divisão de Inteligência em Ameaças da Check Point. E muitos desses ataques envolvem a exploração desse tipo de...

Qual é o risco de senhas hardcoded para o seu negócio?

Já estamos no mês de maio, e você sabe o que comemoramos na primeira quinta-feira deste mês? Sim, é o Dia Mundial das Senhas. Celebrado desde 2013, este dia vem nos lembrar da adequada consciência cibernética e da importância da proteção das senhas em todos os...

As 7 melhores práticas de gestão de patches de tecnologia operacional

Para proteger infraestruturas críticas contra invasores, a abordagem recomendada é a de pensar como eles. Ativos de Tecnologia Operacional (TO) vulneráveis são uma ótima oportunidade para agentes mal-intencionados. Quando os patches são lançados ao público, as...

As melhores práticas de prevenção contra roubo de dados

É importante ressaltarmos que com a transformação digital e o aumento na utilização dos meios digitais identificados nos últimos anos, houve também um disparo na prática de crimes cibernéticos, ou seja, aqueles crimes que ocorrem através dos meios virtuais. Esses...

Ciber Ataques – Sua empresa consegue encarar?

Apesar do arrefecimento da pandemia de Covid-19, os desafios associados a esse período ainda estão sendo endereçados pelas organizações. E para segurança cibernética, 2021 não foi um ano fácil para as organizações desde organizações de saúde e indústria...
Copy link
Powered by Social Snap