BR +55 11 3069 3925  |  USA +1 302 412 1512

Melhores práticas para gestão de identidade de máquina

por | jan 10, 2023 | Blog | 0 Comentários

O trabalho remoto e a adoção da computação em nuvem trouxeram à tona o conceito de identidade como perímetro.

Nesse sentido, apesar de não ser uma novidade, a segurança de identidade em primeiro lugar ganhou urgência na medida em que atacantes mal-intencionados passaram a utilizar a gestão de identidade de máquina e acesso para alcançar seus objetivos.

Atualmente, os hackers têm tido sucesso, visando o Active Directory e a infraestrutura de identidade para mover-se lateralmente em redes com vulnerabilidades.

Vale ressaltar que o uso do múltiplo fator de autenticação (MFA) está crescendo, mas ainda assim é necessário configurar, manter e monitorar a infraestrutura de identidade adequadamente.
Neste artigo, explicaremos tudo sobre esse assunto. Para tornar sua leitura mais fácil, dividimos nosso texto por tópicos. São eles:

  • O que é identidade de máquina?
  • Importância da gestão de identidade de máquina
  • Desafios na gestão de identidade de máquinas
  • Sete melhores práticas na gestão de identidade de máquina
  • Outras práticas recomendadas
  • Sobre o senhasegura
  • Conclusão

Boa leitura!

O que é identidade de máquina?

Assim como as pessoas utilizam nomes de usuário e senha para protegerem suas identidades, as máquinas têm suas identificações exclusivas protegidas por essas credenciais, além de chaves e certificados.

Sem a gestão de identidade de máquina adequada, torna-se impossível garantir a confidencialidade dos dados obtidos por dispositivos autorizados e impedir que essas informações sejam transferidas para máquinas não autorizadas.

Na prática, uma máquina com a identidade comprometida pode prejudicar a segurança digital da empresa. Isso porque os hackers podem utilizá-las para obterem acesso privilegiado a dados e recursos das redes da organização.

Além disso, ao roubar ou forjar uma identidade de máquina, um invasor consegue fazer seu dispositivo se passar por uma máquina legítima e obter dados confidenciais.

Para dar conta do volume, variedade e velocidade de alterações na identidade de máquina, é preciso gerenciar de modo estratégico um conjunto de dados complexos e em rápida transformação.

Por meio das políticas e controles adequados, a gestão de identidade de máquina contribui para otimizar a segurança cibernética de uma corporação, reduzir riscos e garantir a conformidade com requisitos de segurança.

Importância da gestão de identidade de máquina

A gestão de identidade de máquina adequada é fundamental para impedir que credenciais, chaves e certificados comprometidos sejam utilizados para invadirem infraestruturas, dando acesso a dados confidenciais, ou que sejam usados para criar túneis fraudulentos e ocultar ações maliciosas.

Também permite acompanhar o crescimento exponencial do número de máquinas para manter suas identidades seguras e acompanhar a evolução dos serviços em nuvem, que podem expor as identidades de máquina à ação de hackers.

Com a correta gestão de identidade de máquina, ainda é possível proteger dispositivos móveis, sensores e robôs, que podem se comunicar e armazenar informações sigilosas utilizando criptografia.

Além disso, vivemos em um contexto em que as máquinas apresentam funções cada vez mais inteligentes, substituindo as pessoas em atividades que exijam raciocínio e pensamento lógico e a gestão de identidade de máquina permite interagir com segurança com esse tipo de equipamento.

Desafios na gestão de identidade de máquinas

No tópico anterior, mostramos a importância da gestão da identidade de máquina na proteção de dados. Porém, sabemos que o gerenciamento eficiente da identidade de máquina pode ser bastante desafiador.

Um dos motivos é o aumento de dispositivos de TI e de OT, que faz crescer, também, o número de credenciais, certificados e chaves.

Além disso, as práticas tradicionais são insuficientes para atenderem às demandas da gestão de identidade de máquina, podendo causar ataques cibernéticos e interrupção das atividades.
Nesse sentido, os desafios mais comuns são:

Visibilidade

Com o grande número de identidades de máquina, torna-se difícil acompanhar as credenciais existentes e saber onde elas se encontram. Com isso, os certificados ocultos podem expirar sem que ninguém perceba, causando interrupção nas atividades.

Além de ser difícil localizar todos os certificados na rede de uma empresa, existem aqueles que residem em dispositivos externos ao perímetro da rede, que podem passar despercebidos por processos de auditoria.

Conformidade

Para garantir conformidade com os requisitos de segurança, é fundamental regular a emissão, validade, níveis de segurança e acesso. Sendo assim, a falta da gestão de identidade de máquina adequada, contemplando certificados TLS/SSL e chaves SSH, abre brechas para a ação de agentes maliciosos.

Armazenamento

É muito comum que os certificados e chaves sejam armazenados em planilhas e distribuídos por e-mail, contudo, conforme aumenta o número de identidades de máquinas, seu controle nas planilhas fica suscetível a erros.

Gestão manual

A gestão manual de identidade de máquinas também é um equívoco, já que torna o processo lento e propenso a erros.

Na prática, os aplicativos e dispositivos não ficam on-line rapidamente após o registro e provisionamento manual dos certificados. Além disso, a renovação, revogação e auditoria manuais podem causar paralisação das atividades.

Você está curtindo esse post? Inscreva-se para nossa Newsletter!

Newsletter Blog PT

1 + 2 =

Enviaremos newsletters e emails promocionais. Ao inserir meus dados, concordo com a Política de Privacidade e os Termos de Uso.

Sete melhores práticas na gestão de identidade de máquina

Confira, a seguir, algumas práticas que você precisa adotar no gerenciamento de identidade das máquinas da sua organização:

Identificar esse tipo de identidade na infraestrutura

Duzentos e sessenta e sete mil: esse é o número médio de certificados internos que uma organização de TI possui, de acordo com o Instituto Ponemon. Muitos desses certificados são antigos, com possibilidade de estarem codificados ou ocultos entre outras identidades.

Para se ter uma noção, 61% das organizações admitiram, em uma pesquisa de Vanson Bourne, não terem total conhecimento de suas chaves e certificados para dispositivos. Dessas, 96% alegaram sofrer consequências como violações, interrupção dos sistemas e perdas financeiras.

Para garantir a adequada gestão de identidade de máquina, é necessário ter visibilidade sobre os dispositivos que sua empresa utiliza. Sendo assim, é fundamental verificar esse tipo de identidade na infraestrutura.

A boa notícia é que, para isso, você pode contar com o suporte do senhasegura: fomos considerados pelo Gartner como best in class para descoberta e integração de credenciais privilegiadas.

Rotacionar periodicamente as identidades de máquina

Outra medida indispensável é rotacionar as identidades de máquina periodicamente para impedir sua utilização indevida por usuários maliciosos.

Isso porque quando as chaves e certificados permanecem os mesmos por muito tempo, podem ser alvo da ação de hackers, que utilizam chamadas de API conhecidas com um certificado real para obterem acesso a recursos e dados críticos.

Para evitarem esse problema, as organizações devem ter autorizações das máquinas de origem, conexões de nuvem, dispositivos portáteis, servidores de aplicativos e interações de API. Além disso, os certificados devem ser atualizados com frequência.

Implementar soluções de Gestão de Acesso Privilegiado

Para realizar a adequada gestão de identidade de máquina, recomendamos ainda o uso de ferramentas de Gestão de Acesso Privilegiado (PAM). Esse tipo de solução previne ataques cibernéticos na medida em que concede a cada usuário apenas o acesso necessário para realizar suas funções.

Nós, do senhasegura, somos líderes nesse mercado e podemos ajudá-lo a proteger as identidades de máquina da sua organização.

Implementar automação no ambiente por meio do RPA e PTA

O Robotic Process Automation (RPA) consiste no uso de ferramentas tecnológicas para automatizar tarefas operacionais e transacionais, como envio de e-mail, conferência de dados financeiros, elaboração de comprovantes e gerenciamento de folhas de pagamento.

Já o Privileged Task Automation (PTA) automatiza as tarefas do fluxo de trabalho da organização, garantindo que elas sejam concluídas a qualquer momento sem paralisação das operações. Esses dois mecanismos contribuem para evitar violações motivadas por erros humanos.

Porém, é necessário gerenciar as identidades de robôs de software, começando pela definição das melhores políticas sobre como integrar.

Reduza riscos com planos de confiança zero

Para proporcionar mais segurança à gestão de identidade de máquina, aconselha-se a adoção do conceito de confiança zero para os equipamentos. Ou seja, não basta que os usuários das corporações sejam frequentemente autenticados, é necessário estender esse padrão aos dispositivos.

O problema é que, apesar de já adotarem esse modelo de trabalho com foco nas pessoas, muitas organizações ainda consideram a autenticação de dispositivos um desafio.

Contemple a nuvem no plano de gestão de identidade de máquina

Com a transformação digital acelerada pela pandemia de covid-19, muitas empresas passaram a operar no modelo de trabalho remoto, utilizando soluções em nuvem.

Sendo assim, quando falamos em gestão de identidade de máquina, é necessário pensar em soluções que contemplem os ambientes cloud.

O ideal é contar com uma abordagem que centralize funções e possibilite gerenciar várias implantações de nuvens.

Adote soluções de gerenciamento de identidade de máquina

É fundamental que as empresas contem com equipes responsáveis especificamente pelo gerenciamento de identidade de máquinas, evitando que os certificados e chaves permaneçam sem qualquer gerenciamento.

E, para otimizar esse trabalho, é aconselhável a adoção de soluções de gestão de identidade de máquinas automatizadas, que gerenciem todo o ciclo de vida dos certificados.

As soluções automatizadas são bastante eficazes e permitem a escalabilidade das organizações, acompanhando a implantação de novas tecnologias. Porém, as identidades de máquinas não devem ser implícitas e sim expressamente atribuídas.

Outras práticas recomendadas

Veja, a seguir, outras práticas recomendadas para você, que precisa lidar com a gestão de identidade de máquina.

Garanta a visibilidade

Para que nenhuma máquina fique sem gerenciamento, é indispensável fazer um levantamento de todos os certificados e chaves. Essa busca deve incluir dispositivos que estão fora do perímetro de rede. Além disso, é importante saber a localização, CA e data de expiração de cada certificado.

Conte com uma gestão centralizada

Centralizar a gestão de identidade de máquina é um modo de simplificar sua implementação em ambientes, dispositivos e cargas de trabalho. Também é possível agrupar certificados, levando em consideração seu tipo, nível de criticidade e data de expiração.

A gestão de identidade de máquina adequada protege a comunicação e impede a ação de atacantes maliciosos.

Utilize o autoatendimento

É possível utilizar autoatendimento para provisionamento, renovação e revogação de certificados, tornando a gestão de identidade de máquina mais eficiente. Nesse sentido, para manter as identidades bem protegidas e limitar as ações das equipes, basta implantar controles e privilégios de acesso baseados em função.

Armazene certificados e chaves em locais seguros

Os certificados digitais e chaves SSH devem ser armazenados em locais centralizados e seguros, de preferência, em dispositivos criptografados. Além disso, o acesso a esses dispositivos deve ser limitado aos usuários privilegiados com o uso de senhas fortes e RBAC.

Essas medidas garantem a segurança da identidade de máquina, ainda que a rede seja comprometida.

Rotação de chaves

Muitas empresas ficam vulneráveis diante da ação de ex-colaboradores mal-intencionados, que têm acesso a certificados, chaves e algoritmos criptografados antigos. Para evitar esse problema, recomendamos fortemente a troca de chaves antigas por novas.

Automação

Conforme já sugerimos neste texto, a automação é a solução para grande parte dos problemas de segurança cibernética. No caso da gestão de identidade de máquina, automatizar esse processo garante que as chaves e certificados estejam sempre atualizados e permite evitar problemas como interrupção das atividades.

Realize auditorias com frequência

Realizar auditorias frequentes nas identidades de máquina é importante porque esse processo permite detectar e eliminar problemas como senhas fracas, certificados não autorizados ou expirando e chaves antigas e não utilizadas.

Para isso, você pode utilizar uma solução de auditoria fornecida por terceiros. Desse modo, é possível evitar paralisação das atividades, prevenir violações e otimizar a gestão de identidade de máquina.

Sobre o senhasegura

Nós, do senhasegura, integramos o grupo de empresas de segurança da informação MT4 Tecnologia, fundado em 2001, e temos o objetivo de proporcionar soberania digital aos nossos clientes por meio do controle de ações e dados privilegiados.

Com isso, evitamos o vazamento e roubos de dados, na medida em que gerenciamos as permissões privilegiadas antes, durante e após o acesso, por meio da automatização de máquinas. Nós atuamos de modo a:

  • Otimizar o desempenho das empresas, evitando a interrupção de operações;
  • Realizar auditorias automáticas do uso de permissões;
  • Auditar alterações privilegiadas para detectar abusos de privilégio de modo automático;
  • Oferecer soluções avançadas com a Plataforma de Segurança PAM;
  • Reduzir ameaças cibernéticas; e
  • Colocar as organizações que nos contratam em conformidade com requisitos de auditoria e padrões como PCI DSS, Sarbanes-Oxley, ISO 27001 e HIPAA.

Conclusão

Neste artigo, você viu que:

  • As máquinas têm suas identidades exclusivas protegidas por chaves e certificados;
  • O aumento de máquinas de TI e máquinas OT gera um crescimento significativo no número desses certificados e chaves;
  • Sem a gestão de identidade de máquina adequada, torna-se impossível garantir a confidencialidade dos dados obtidos por máquinas autorizadas e impedir que essas informações sejam transferidas para as não autorizadas;
  • Atores mal-intencionados podem utilizar identidades de máquinas comprometidas para obterem acesso privilegiado a dados e recursos das redes da organização;
  • A gestão de identidade de máquina contribui para otimizar a segurança cibernética de uma corporação;
  • Também permite acompanhar o crescimento exponencial do número de máquinas e proteger dispositivos móveis, sensores e robôs;
  • Os principais desafios na gestão de identidade de máquina são: visibilidade, conformidade, armazenamento e gestão manual;
  • Entre as melhores práticas para esse gerenciamento, estão: reconhecer identidades de máquina, rotacionar essas identidades periodicamente, implementar soluções de Gestão de Acesso Privilegiado, implementar automação no ambiente, reduzir riscos por meio do conceito de Zero Trust, contemplar soluções em nuvem na gestão de identidade de máquina e adotar soluções automatizadas de gerenciamento de identidade de máquina;
  • Também é fundamental garantir a visibilidade dos dispositivos, contar com uma gestão centralizada, utilizar o autoatendimento, armazenar os certificados e chaves em locais seguros e realizar auditorias com frequência;
  • O senhasegura foi considerado pelo Gartner como best in class para descoberta e integração de credenciais privilegiadas;
  • Além disso, a empresa fornece a solução PAM, que evita ataques cibernéticos por meio da política do Privilégio Mínimo.

Gostou do nosso conteúdo sobre gestão de identidade de máquina? Compartilhe com alguém que possa se interessar pelo tema.

Força de senha: como criar senhas fortes para as credenciais?

A força de senha é um dos critérios considerados na criação de políticas de senhas. Afinal, essa é uma das medidas mais eficientes para evitar que as senhas sejam violadas. E se preocupar com isso é de suma importância para as organizações nos dias atuais. Isso porque...

Investimento de 13 milhões de dólares impulsiona expansão da senhasegura nas Américas e no Oriente Médio

Por Priscilla Silva São Paulo, 10 de Março de 2023 - O senhasegura, provedor líder de solução para Gestão de Acessos Privilegiados (PAM), que protege ambientes tecnológicos e recursos críticos de organizações contra ameaças cibernéticas, anuncia o aporte de 13 milhões...

senhasegura recebe prêmio CyberSecured 2022 como melhor solução de PAM nos EUA

Escrito por Priscilla Silva SÃO PAULO, 28 de Fevereiro de 2023 - A edição de 2022 do prêmio CyberSecured, promovido pela revista Security Today, marca do grupo 1105 Media's Infrastructure Solutions Group, elegeu a senhasegura como vencedora na categoria Privileged...

senhasegura lança o conceito “Jiu-JitCISO” para mostrar o vigor da cibersegurança brasileira

Por Priscilla Silva São Paulo, 13 de janeiro de 2023 - "Como no Jiu-Jitsu, a senhasegura é sobre defesa própria. Toda empresa deveria saber como se proteger e também proteger os seus clientes" é o propósito baseado na filosofia da arte marcial japonesa, mas...

CISA e FBI lançam script de recuperação de ransomware ESXiArgs

A Agência de Segurança Cibernética e Infraestrutura dos Estados Unidos e o Departamento Federal de Investigação (FBI) lançaram, nesta semana, um guia de recuperação do ransomware ESXiArgs, que prejudicou milhares de empresas em âmbito global. Isso ocorreu porque...

senhasegura é líder pelo segundo ano consecutivo no relatório KuppingerCole Leadership Compass 2023

Por Priscilla Silva São Paulo, 30 de janeiro de 2023 - A senhasegura, solução de Gestão de Acessos Privilegiados (PAM) conquista a posição de líder no atual "Leadership Compass 2023". O relatório é produzido pela renomada empresa de análise de TI, a alemã...