BR +55 11 3069 3925 | USA +1 469 620 7643

LGPD: o que é e como impacta na sua empresa?

por | nov 16, 2021 | Blog

Em razão do crescente desenvolvimento tecnológico no mercado, podemos perceber claramente o quanto mudou a tendência de compra dos consumidores de produtos e serviços. Por meio de tecnologias mais práticas, como é o caso de celulares, notebooks e tablets, a facilidade para se relacionar com empresas através da internet está a um clique de distância, apenas.

Percebendo esse novo comportamento de consumo, as marcas viram aí uma necessidade de garantir presença digital, a fim de conquistar novos públicos. Em consequência dessa migração, foi necessário dispor de estratégias de marketing digital para captar clientes, e entre as estratégias mais utilizadas para gerar conversões, está a coleta de informações de usuários.

A LGPD foi sancionada em 2018 para certificar-se de que esses dados coletados pelas empresas — seja um e-mail, CPF ou número de telefone — fossem armazenados e utilizados de maneira segura e transparente.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, confira o nosso post até o final e tire todas as suas dúvidas sobre a LGPD e a forma em que ela pode impactar a sua empresa.

Afinal, o que é LGPD?

A Lei 13.709/2018, popularmente conhecida como LGPD — sigla para Lei Geral de Proteção de Dados — acabou sendo sancionada no ano de 2018. Foi criada para que os dados pessoais disponibilizados para empresas se tornassem ainda mais seguros, ou seja, coletados e armazenados de forma eficiente.

De forma prática, sabe-se que essa lei oferece poder ao usuário em relação aos seus dados. Ou seja, ele pode definir a forma como as empresas podem dispor de seus dados sensíveis, e como deverão ser tratados. Além disso, esses usuários podem simplesmente negar o compartilhamento de suas informações, uma vez que não são obrigados a isso.

Existe uma lei europeia, popularmente conhecida como GDPR. Foi a partir dela que a LGPD apoiou suas principais premissas acerca da segurança dos dados e informações compartilhadas de usuários.

Seguindo a linha prática da LGPD, os usuários devem estar cientes quanto à utilização e tratamento de  suas informações pessoais pelas empresas que as coletaram. Além disso, os usuários podem optar pela remoção de seus dados da base de dados da empresa em questão.

Deseja ficar por dentro desse assunto? Baixe agora mesmo o nosso e-book gratuito e tenha acesso a informações exclusivas.

Como a LGPD impacta as empresas?

Olhando para o lado empresarial, esses novos processos orientados pela Lei vão insistir que os negócios sejam extremamente criteriosos e minuciosos acerca dos termos de uso dos respectivos dados. Logo, as marcas precisam deixar muito bem explicadas todas as formas de uso em relação às informações prestadas pelos usuários. Sem contar que esses negócios também devem promover ações para que o próprio usuário consiga gerenciar suas informações.

Para que essas atividades possam ser realizadas de maneira eficiente e, sobretudo, de acordo com as diretrizes impostas pela LGPD, é necessário que cada empresa se atente às principais regras que ela orienta acerca dos dados coletados.

O que se tem visto bastante no mundo empresarial, é que as marcas têm contratado profissionais para lidar especificamente com esses processos, fazendo com que os setores internos que precisam dos dados pessoais dos clientes e leads possam trabalhar de forma ainda mais segura, e dentro da lei.

 

Você está curtindo esse post? Inscreva-se para nossa Newsletter!

Newsletter Blog PT

13 + 7 =

Enviaremos newsletters e emails promocionais. Ao inserir meus dados, concordo com a Política de Privacidade e os Termos de Uso.

Como se adaptar à LGPD?

Em se tratando de empresas que trabalham com marketing digital e precisam coletar informações pessoais de clientes para criar estratégias de conversões e vendas, elas precisam seguir alguns processos padronizados pela lei, a fim de garantir eficiência em toda a etapa de coleta de dados. 

Confira abaixo alguns processos de Marketing que foram afetados pela LGPD e como estar em conformidade com a lei de proteção de dados brasileira:

  1. Inbound Marketing

A estratégia do inbound marketing depende exclusivamente da coleta de dados dos usuários para gerar campanhas de vendas e um relacionamento ainda mais estreito com os leads. Logo, quem atua diretamente nesse método, vai perceber que a coleta de dados precisa ser muito mais séria.

Já que um dos principais objetivos do inbound marketing é estimular um interesse de forma espontânea do público para a compra de produtos e serviços específicos da empresa, os usuários realmente interessados na marca vão oferecer os dados sem qualquer esforço, e tudo dentro da lei — especialmente na transparência.

  1. Anúncios

Para negócios que lidam com tráfego pago e dispõem das ferramentas do Google ads ou Facebook ads para impulsionar as vendas no Google ou em redes sociais, é necessário prestar uma atenção ainda maior em processos em que o negócio torna-se controlador dos dados, afinal, tratando-se de anúncios, os usuários tendem a deixar um e-mail ou número de telefone para contato, por e-mail marketing ou pelo telefone.

Sendo assim, durante a formação dos anúncios, as empresas são obrigadas a destacar o motivo pelo qual estão pedindo esses dados, como esses dados serão tratados e mostrar aos usuários que eles podem gerenciá-los, sempre que for necessário.

  1. E-mail marketing

Se a sua empresa já se utiliza de processos de opt-in nos formulários para garantir que os usuários realmente querem cadastrar dados pessoais em newsletter ou landing pages para ficar recebendo e-mails da sua empresa, ótimo! Contudo, caso ela não tenha feito isso antes da sanção da lei, pode ser necessário formular novas estratégias para garantir o opt-in dos antigos leads que ainda não estão de acordo com as regras da LGPD.

De forma prática, esse processo pode ser executado por meio de estratégias de reengajamento, a fim de garantir um relacionamento com esses antigos leads, mas informando-os e inserindo-os nos processos orientados pela Lei Geral de Proteção de Dados.

Conclusão

Conforme vimos, a LGPD veio para assegurar que todos os usuários possam se relacionar com empresas de forma segura e transparente, sem a devida preocupação de que os dados passados sejam usados para fins ilícitos ou que não estejam de acordo com princípios éticos.

Portanto, agora que você já tirou todas as suas dúvidas sobre a LGPD, que tal ampliar o seu conhecimento sobre o assunto? Acesse agora mesmo o nosso blog e confira outras dicas exclusivas sobre o tema.

fontes: https://blog.vxcomunicacao.com.br/o-que-e-a-lgpd-e-o-que-ela-impacta-na-sua-empresa/

https://noticias.portaldaindustria.com.br/noticias/economia/lgpd-entenda-como-a-nova-lei-pode-impactar-a-sua-empresa/

 

Força de senha: como criar senhas fortes para as credenciais?

A força de senha é um dos critérios considerados na criação de políticas de senhas. Afinal, essa é uma das medidas mais eficientes para evitar que as senhas sejam violadas. E se preocupar com isso é de suma importância para as organizações nos dias atuais. Isso porque...

Verizon Data Breach Investigation Report 2021: o que você precisa saber sobre esse relatório

A interação humana com as estruturas de TI representa uma das principais ameaças cibernéticas enfrentadas por organizações dos mais diversos portes e segmentos.  Essa é apenas uma das importantes informações extraídas do Verizon Data Breach Investigation Report 2021,...

Construindo uma indústria digital através do PAM

Com o avanço da tecnologia, os setores industriais encontram-se cada vez mais digitalizados por meio de soluções que otimizam os processos realizados nesses ambientes, reduzindo custos, eliminando falhas humanas e gerando mais produtividade.  Entre as tecnologias que...

O que fazer para diminuir os valores de seguro cibernéticos?

Quando se trata de segurança da informação, os riscos para as organizações estão cada vez maiores por uma série de fatores. Como exemplo, podemos mencionar o aumento no número de ataques cibernéticos, especialmente após a pandemia de covid-19, que acelerou a adoção em...

Alcançando a conformidade com a Lei Sarbanes-Oxley (SOX) usando controles de segurança cibernética

A Lei Sarbanes-Oxley (SOX) está associada principalmente à transparência da empresa e ao uso de controles contábeis e financeiros para proteger os investidores de relatórios financeiros fraudulentos. No entanto, é sempre importante lembrar o papel fundamental cada vez...

Gestão de Acesso Privilegiado (PAM): guia completo

Em 2021, houve um aumento de 50% no número de ataques em redes corporativas em relação ao ano anterior. É o que aponta a Check Point Research (CPR), divisão de Inteligência em Ameaças da Check Point. E muitos desses ataques envolvem a exploração desse tipo de...
Copy link